ESCOLAS MUNICIPAIS
PDE ATIVIDADES
HTPI ONLINE
ID PROJETOS
EDUCADOR de APOIO
PUBLICAÇÕES

Compartilhe:

• QR Code e tablets levam informações de museu a palma das mãos dos alunos

Publicado em 19/09/2022 - por Daniel Elias, MTB: 59.233

A visita ao museu que fica dentro do Departamento de Educação Ambiental (DEA) ficou mais divertida e dinâmica. Os alunos que passam pelo local agora contam com dois dispositivos que trazem as informações específicas da Mata Atlântica, com detalhes da fauna e da flora. Isso graças ao sistema de leitura de QR Code realizada por meio de tablets disponíveis no espaço educacional.

A inserção da tecnologia durante a visita ao museu começou a quase dois meses com o retorno das aulas para o segundo semestre. A novidade veio para somar com a remodelação do ambiente que trouxe layout mais atrativo aos estudantes. “Foi quando pensamos em oferecer essa informação mais precisa aos alunos ao ler o QR Code”, destacou a diretora do Departamento de Educação Ambiental, Eliane Queiroz.

Uma vez no local, os alunos assistem a uma explanação dos professores do DEA sobre a flora e a fauna existente na Mata Atlântica. O museu traz detalhes deste habitat e de outros, ao expor animais taxidermizados, em recipientes de vidros com formol ou mesmo com parte do fóssil de uma baleia. Na frente de cada um, o QR Code traz informações específicas sobre esses seres vivos.

Mas a novidade não ficou restrita apenas a parte do museu. No hall de entrada do Educação Ambiental, a maquete da Sabesp que representa o abastecimento e tratamento de água, bem como, o painel com fotos das espécies de aves trabalhadas pelo projeto Vem Passarinhar receberam o código. Na parte externa, as árvores próximas ao prédio também foram identificadas.

Em uma das visitas recebidas pelo Departamento de Educação Ambiental, a aluna Kauanne Pereira de Jesus, 12 anos, da EM Joaquim Augusto Ferreira Mourão, no Bairro Melvi, teve a oportunidade de experimentar a novidade enquanto conhecia o museu. “Foi uma surpresa muito grande chegar aqui e ter essa oportunidade de interagir com a exposição. Fica mais divertido pois a gente escolhe sobre o que quer pesquisar na hora”.

Voltar